Vídeo mostra imagens aéreas de Conde inundada após rio transbordar; moradores ficaram ‘ilhados’

Água tomou ruas da cidade.

Foto: Divulgação/Prefeitura do Conde

Um vídeo das imagens aéreas divulgado pela prefeitura do Conde, cidade a cerca de 160 km de Salvador, mostram os estragos causados após o rio Itapirucu, que corta o município, transbordar. Segundo a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), o fornecimento de água na cidade foi reduzido por causa da situação.

De acordo com o secretário de comunicação da cidade, Antônio Reis, as águas do rio começaram a tomar as ruas da cidade na quarta-feira (20) e, nesta quinta (21), a água ainda não escoou. O rio transbordou por causa da chuva que cai na cidade. Há possibilidade de mais chuva e o tempo permanece nublado.

Através das imagens é possível notar que muitos moradores estão ilhados. O rio cobriu maior parte da estrada que liga um trecho da cidade ao centro do Conde. Ainda por meio das imagens, observa-se que o alagamento toma muitas ruas do município. Como o rio transbordou, 40 famílias ficaram desabrigadas. Elas foram acolhidas pela prefeitura e estão bem. Não há registro de desaparecidos ou feridos.

“Os acessos principais para o centro da cidade estão interditados por causa do volume de água. Estamos ilhados. É a primeira vez que temos invasão de água do rio Itapicuru, com a chuva na região. Das outras vezes que fomos invadidos pelas águas, foram das chuvas que caíram na Chapada Diamantina, na região de Jacobina”, explicou Antônio.

A grande quantidade de água na rua também fez com que vários animais, incluindo cavalos e bois, fossem deslocados para outros pontos. Os s moradores da cidade registram o momento exato. Segundo Dudu Vieira, prefeito da cidade, há uma grande preocupação sobre a situação por causa da pandemia da Covid-19.

“Continua chovendo no município. O rio inundou a cidade. Temos problemas também com alagamentos, por causa das chuvas. Se a situação estava difícil por causa da pandemia, agora se agravou mais”, disse. Ele conta que as pessoas são abrigadas em colégios da cidade, mas sempre respeitando o isolamento e o distanciamento entre as pessoas.

“Estamos colocando as pessoas em colégios. Respeitando a questão do isolamento. Assistência social está diretamente ligada as pessoas. O pessoal da vigilância sanitária também está dando assistência para as pessoas. Nesse momento, a maioria perdeu tudo o que tinha dentro de casa”, revelou.

Ainda de acordo com o prefeito, sempre foi comum as chuvas na cidade. Apesar disso, dessa vez, além da grande quantidade de água na cabeceira do rio, há também a chuva que afeta a região, oq ue intensifica o volume de água.

“Sempre teve enchentes de grandes proporções na cidade. O que diferencia essa é porque ela veio também com alagamentos, por causa da chuvas. A maioria das enchentes que ocorre no município acontece por causa de chuvas na cabeceira do rio. Dessa vez, foi um pouco diferente porque ela é proveniente aqui e também na região”, concluiu.

Conforme a Embasa, devido à cheia do rio Itapicuru, a adutora que abastece a sede municipal de Conde foi quebrada. O objetivo da empresa é que a cidade seja abastecida após a captação no rio das Pedras.

Ainda de acordo com a empresa, enquanto essa alternativa não é viabilizada, a cidade estará com o fornecimento de água reduzido. A situação só será completamente regularizada com a redução da vazão do rio Itapicuru, quando os serviços de manutenção do funcionamento da rede distribuidora poderão ser executados. A previsão, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), é que a chuva continue no Conde. No município, a temperatura varia entre 19ºC e 30ºC.

Compartilhe