TSE define regras para garantir a segurança de eleitores e mesários

Protocolo de segurança elaborado por especialistas contém 10 regras

Foto: Divulgação/TRE

Um milhão de litros de álcool gel e mais de nove milhões de máscaras e escudos faciais. Esses itens fazem parte do material que será usado para garantir a segurança sanitária dos eleitores e mesários nas eleições municipais de novembro. A seções eleitorais também terão adesivos no chão para marcar a distância entre as pessoas, que não poderá ser menor que um metro. O material foi doado por 30 empresas.

O Tribunal Superior Eleitoral já havia anunciado duas mudanças: a antecipação da abertura dos locais de votação em uma hora, para ás 7h da manhã, e a dispensa da impressão digital. O presidente do TSE, Luis Roberto Barroso, detalhou como o eleitor deve proceder desde o momento que chega até a saída da seção eleitoral.

Esse passo a passo estará também em cartazes em todos os locais de votação. O protocolo de segurança foi elaborado por uma consultoria sanitária formada por especialistas da Fiocruz e dos hospitais Sírio Libanês e Albert Einstein. Os profissionais atuaram voluntariamente. A ideia é manter o afastamento para reduzir ao máximo o risco de contaminação por covid-19 entre eleitores e mesários.

Por isso, segundo Barroso, o uso de máscara será obrigatório. As mudanças não são só para quem vai votar mas também para quem precisar justificar a ausência. Além do formulário de papel, que precisava ser entregue em uma seção eleitoral, desta vez será possível enviar a justificativa por meio do aplicativo de celulares e-Título. Será necessário autorizar que o aplicativo acesse a localização do celular, para confirmar que a pessoa não está no domicílio eleitoral.

A justificativa pode ser feita até 60 dias após cada turno das eleições. O primeiro está marcado para 15 de novembro e o segundo, para duas semanas depois, no dia 19.

Compartilhe