Três em cada dez locais atingidos voltam a apresentar manchas de óleo após limpeza

Segundo levantamento, quatro cidades na Bahia tiveram retorno das manchas ao menos duas vezes

Um terço das mais de 280 localidades atingidas pelo óleo no Nordeste viram a poluição retornar ao menos uma vez depois de serem limpas.

De acordo com levantamento do G1, ao todo, 83 praias e outras localidades tiveram a reincidência da contaminação. O número representa 29,5% dos locais afetados pelo petróleo cru que começou a surgir no fim de agosto no litoral nordestino.

Os dados constam em 23 relatórios divulgados pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama). A análise mostra que, em alguns locais, houve até três “idas e vindas” do óleo.

Todos os nove estados apresentaram em algum momento o retorno da contaminação, entre 29 de setembro e 30 de outubro.

Foram 103 reincidências em 83 municípios diferentes.

Confira a lista dos municípios onde as manchas foram registradas mais de uma vez, com destaque para os baianos:

Guarajuba, Camaçari (BA): 3 reincidências;
Jacumã, Ceará-Mirim (RN): 3 reincidências;
Praia de Gramame, Conde (PB): 3 reincidências;
Barra do Cunhaú, Canguaretama (RN): 2 reincidências;
Genipabu, Extremoz (RN): 2 reincidências;
Perobas, Touros (RN): 2 reincidências;
Praia de Areia Preta, Natal (RN): 2 reincidências;
Praia de Flexeiras, Feliz Deserto (AL): 2 reincidências;
Praia de Zumbi, Rio do Fogo (RN): 2 reincidências;
Praia do Japonês, Camaçari (BA): 2 reincidências;
Rio Vermelho, Salvador (BA): 2 reincidências;
Sagi, Baía Formosa (RN): 2 reincidências;
Carneiros, Tamandaré (PE): 2 reincidências;
Ilhas dos Poldros, Araioses (MA): 2 reincidências;
Pau Amarelo, Paulista (PE): 2 reincidências
Praia do Forte, Mata de São João (BA): 2 reincidências.

Em outras praias com reincidência da contaminação, o óleo foi limpo e voltou em um único momento.

Compartilhe