Suspeito de envolvimento em chacina de motoristas por aplicativo morre em confronto com a PM

Troca de tiros ocorreu na sexta-feira (13), mesmo dia do crime, no bairro de Itinga, em Lauro de Freitas.

Foto: Ilustrativa

Um dos suspeitos de participação no assassinato de quatro motoristas por aplicativo, no bairro de Santo Inácio, em Salvador, morreu em confronto com policiais militares, na noite de sexta-feira (13), mesmo dia do crime, em Lauro de Freitas, região metropolitana da capital.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), o caso ocorreu nas proximidades do Condomínio Quinta da Glória, no bairro de Itinga. Segundo a secretaria, equipes da 81ª CIPM estavam em alerta desde a descoberta dos crimes, pois haviam informações sobre a fuga dos envolvidos para região metropolitana.

A SSP informou que os policiais aguardavam a chegada de um guincho para a remoção de um veículo roubado, quando outro carro, com três homens, chegou no local. Os suspeitos desceram do veículo atirando e, na troca de tiros, dois deles foram atingidos. O terceiro homem conseguiu fugir.

A dupla chegou a ser socorrida, mas não resistiu. Nenhum dos dois foi identificado. No entanto, a SSP informou que apenas um deles tem envolvimento com a chacina em Santo Inácio. No entanto, o diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado José Bezerra , informou, em nota, que uma vítima que sobreviveu reconheceu o suspeito como um dos autores do crime.

“Ele ainda não foi identificado, pois no momento do confronto os dois estavam sem documentação, mas tudo indica que um deles é sim integrante da quadrilha responsável pelas mortes”, disse, em nota, o delegado José Bezerra. Dois revólveres, sendo um calibre 38 e um calibre 32, foram apreendidos com os homens mortos.

O policiamento foi reforçado nos bairros de Jardim Santo Inácio e Mata Escura, vizinho ao local onde o crime ocorreu. Qualquer informação que possa ajudar a polícia a chegar até os homicidas pode ser transmitida através do Disque Denúncia 71 3235-0000. O denunciante não precisa se identificar.

Compartilhe