Sem DPVAT, governo não sabe quem pagará emissão de documentos veiculares

Responsável pela administração do DPVAT, a Seguradora Líder também confeccionava e distribuía as cédulas verdes usadas pelos Detrans de todo o país.

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Depois de acabar com o seguro obrigatório para veículos, o DPVAT, o governo Bolsonaro ainda não sabe quem fornecerá, a partir de 2020, os papéis usados para emissão do documento de mais de 65 milhões de veículos licenciados por ano no país, de acordo com a Folha.

Responsável pela administração do DPVAT, a Seguradora Líder também confeccionava e distribuía as cédulas verdes usadas pelos Detrans de todo o país para imprimir o Certificado de Registro de Licenciamento de Veículo, popularmente conhecido como “o documento do carro”.

No ano passado, foram emitidos 65,2 milhões de documentos deste tipo durante o processo de licenciamento dos veículos. Cada dono de veículo paga uma tarifa de R$ 4,15 pelo papel. O governo reconheceu que ainda estuda quem será o novo responsável pelo serviço. Conforme o Ministério da Economia, ainda não há uma decisão tomada.

Ligado ao Ministério da Infraestrutura, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) também afirmou avaliar os ajustes e procedimentos após a decisão do presidente Jair Bolsonaro. Uma das possibilidades cogitadas é transferir o custo das cédulas para os Detrans de cada estado, que anteriormente eram os responsáveis pela emissão do papel.

Compartilhe