Rui diz que vai proibir ‘paredões’ e endurecer regras para eventos de rua

A proibição dos chamados "paredões" é encarada por organizadores como uma tentativa de criminalização.

Foto: Gabriel Cabral / Folhapress

O governo da Bahia decidiu pela proibição das “festas de paredão” no estado. O anúncio da medida foi feito pelo próprio governador Rui Costa (PT) através de uma publicação nas redes sociais na tarde desta quarta-feira (13).

“Não vamos permitir mais nenhuma festa de paredão na Bahia. Para festas serem realizadas fechando ruas, as prefeituras precisarão autorizar e comunicar à Polícia Militar previamente”, disse o gestor.

Segundo o governador, caso as regras não sejam seguidas ou não haja a autorização prévia, Polícia Militar deverá apreender os equipamentos sonoros.

O debate em torno da proibição já vinha sendo tocado pelas autoridades – não só pelo governo do estado, mas também pela gestão municipal – desde agosto do ano passado, quando Rui Costa e o então prefeito ACM Neto (DEM), devido ao contexto pandêmico, concordaram com a aplicação de medidas mais duras contra os eventos por causarem aglomerações.

Na época Rui sugeriu que os participantes dos eventos poderiam ser enquadrados como crime contra a saúde pública. “Veículo será apreendido e feito o enquadramento dos seus proprietários junto à delegacia como crime. Além dos aspectos das multas de trânsito, das multas de som, será aberto procedimento criminal para essas pessoas”, escreveu o petista.

ACM endossou a posição do governador na ocasião. “A PM tem um papel imprescindível nesse combate desse tipo de aglomeração criminosa’, disse Neto quando questionado sobre o assunto.

A proibição dos chamados “paredões” é encarada por organizadores como uma tentativa de criminalização.

Compartilhe