Record admite caso de racismo em ‘A Fazenda’ e demite funcionário

A situação envolvendo a ex-Miss São Paulo aconteceu na última terça-feira (5).

Foto: Antonio Chahestian/ Rede Record

A Record emitiu uma nota oficial na manhã desta quarta-feira (6) após a repercussão do caso de racismo envolvendo a peoa Sabrina Paiva, anunciando a demissão do operador de câmeras responsável pela ofensa. No texto a emissora paulista repudiou o ato do ex-funcionário e deu liberdade à Sabrina de fazer uma denúncia formal.

“A produtora Teleimage (que presta serviços à Record TV e é a contratante do operador de câmera), identificou o ofensor. Ele foi repreendido e teve seu contrato de trabalho rompido sumariamente”, diz uma parte do comunicado. A situação envolvendo a ex-Miss São Paulo aconteceu na última terça-feira (5) enquanto a jovem aguardada junto a outros participantes para realizar a Prova do Fazendeiro.

Na ocasião, o operador de câmera teria dito “Vai, macaca, senta aí”, na hora em que Sabrina levantou para beber água. Outros participantes confirmaram ter ouvido a ofensa. O caso ainda repercutiu dentro da casa com Rodrigo Phavanello, Thayse e Hariany, mas os outros confinados acreditaram ter sido um mal entendido.

Confira o comunicado oficial completo da emissora:

“A Record TV informa que ontem, 05/11, durante o reality A Fazenda, ao vivo, um operador de câmera, posicionado atrás de um dos espelhos da sala, fez um comentário racista a respeito da participante Sabrina Paiva.

Imediatamente ao fim do programa, a produtora Teleimage (que presta serviços à Record TV e é a contratante do operador de câmera), identificou o ofensor. Ele foi repreendido e teve seu contrato de trabalho rompido sumariamente.

A Record TV repudia veementemente esta atitude e qualquer tipo de preconceito. Como se trata de ofensa racial, será informado à participante Sabrina Paiva que a ela será dado o direito de fazer a representação legal ao ofensor, se assim quiser e no momento que desejar.

A Record TV e a produtora Teleimage lamentam o fato e não admitem que algo dessa natureza aconteça em suas produções.”

Compartilhe