Queiroz afirma em novo depoimento que esperava ser assessor de Flávio Bolsonaro no Senado

Ex-assessor disse que não chegou a conversar com Flávio sobre a nomeação, "apenas esperava que isso viesse a ocorrer devido aos serviços que prestou durante a candidatura".

Foto: Divulgação

Em novo depoimento prestado ontem (2) ao Ministério Público Federal, o ex-assessor Fabrício Queiroz disse que “esperava” ser nomeado para trabalhar no gabinete de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) no Senado no fim de 2018, antes de o relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que apontou movimentações atípicas no valor de R$ 1,2 milhão nas suas contas vir a público. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo.

Esse foi o segundo depoimento prestado por Queiroz desde que foi preso no último dia 18 de junho. O ex-assessor disse que não chegou a conversar com Flávio sobre uma possível nomeação. “Apenas esperava que isso viesse a ocorrer devido aos bons serviços que prestou durante a candidatura”, disse.

O ex-assessor disse que se encontrou com Flávio logo após ter vindo a público o relatório do Coaf, no fim de 2018, e que depois disso não manteve mais contato com o senador e também cortou contato com o presidente Jair Bolsonaro desde então. O senador Flávio Bolsonaro já foi intimado pelo MPF para prestar depoimento nesta investigação, uma data ainda será agendada.

Compartilhe