Problemas ambientais podem se ‘agravar’ se o acordo entre Mercosul e UE não entrar em vigor, diz governo brasileiro

Nota responde a críticas feitas pela França aos atuais termos do acordo.

Foto: Wikimedia Commons

O governo brasileiro divulgou hoje (22) uma nota conjunta dos ministérios das Relações Exteriores e da Agricultura na qual afirma que os problemas ambientais podem se “agravar” se o acordo entre Mercosul e União Europeia não entrar em vigor.

A nota responde a críticas feitas pela França aos atuais termos do acordo, em relatório no qual afirma que o tratado de livre comércio poderá aumentar o desmatamento nos países do bloco sul-americano.

Segundo a declaração do governo brasileiro, a não entrada em vigor do Acordo Mercosul-UE passaria “mensagem negativa” e estabeleceria “claro desincentivo aos esforços do país para fortalecer ainda mais sua legislação ambiental”.

O comunicado afirma ainda que o relatório do governo francês revela “preocupações protecionistas”. UE e Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai) assinaram este acordo de livre-comércio no ano passado, após mais de 20 anos de negociações, mas o texto ainda precisa ser ratificado pelo Legislativo de todos os governos dos blocos.

 

Compartilhe