Ponte ligará a capital baiana à Ilha de Itaparica, facilitando o acesso ao Recôncavo

Sílvio Ataliba, ex-prefeito de Maragojipe, diz que o município vislumbra uma nesga de reação no Estaleiro Enseada do Paraguaçu, fechado no rastro da Lava Jato.

Foto: Divulgação

Sílvio Ataliba, ex-prefeito de Maragojipe, diz que o município vislumbra uma nesga de reação no Estaleiro Enseada do Paraguaçu, fechado no rastro da Lava Jato. É com a construção da ponte Salvador-Itaparica: – Cogita-se a possibilidade de se construir lá as pernas da ponte. Se vai dar certo, não sabemos. As primeiras informações ditam que a Odebrecht pediu alto. Até agora, o estaleiro, em São Roque, é elefante-branco.

A Bahia, uma nova morada?

Pouco antes de sair da prisão, Lula disse que quando deixou a presidência quis voltar a morar no Nordeste, em Pernambuco, Rio Grande do Norte ou a Bahia, ‘em algum lugar perto da praia, do mar’, e só não o fez porque Marisa Letícia, a falecida esposa, era de São Bernardo e queria ficar lá. Petistas baianos lembraram ontem o fato para afirmar que a possibilidade é real. E Salvador está entre as opções cogitadas.

PDT, milagre em dose dupla

Ao ser abordado sobre a possibilidade de Leo Prates, deputado estadual licenciado e secretário da Saúde de ACM Neto, entrar para o PDT e disputar a prefeitura de Salvador, o deputado federal Félix Mendonça Júnior, presidente estadual do partido, que é aliado de Rui Costa, disse que não vê problema. E brincou: – Se ele entrar no PDT, será do PDT. Quem sabe ele não terá o apoio de Neto e de Rui Costa? Nem com Irmã Dulce.

Bellintani e o Bahia, jogo que dá no campo político

Já que as atenções na banda governista convergem hoje para a festa do Avante, com o deputado Sargento Isidório, prefeiturável em Salvador, à frente, dizem no mundo político que Guilherme Bellintani tem hoje, no jogo do Bahia contra o Flamengo, um dia quase decisivo, no campo político. Depois de ter vencido o Grêmio em Porto Alegre, o Bahia só se deu mal, coincidentemente justo a partir do jogo com o Ceará, quando o time vestiu a camisa melada de óleo e perdeu na Fonte Nova. Daí em diante, os desacertos ameaçam rebaixar a pretensão de Bellintani de candidatar-se a prefeito de Salvador para a segunda divisão. Entre os governistas, dizem que ele precisa torcer para a bola entrar.

POLÍTICA COM VATAPÁ

Brigadeiro, o doce

Conta o jornalista Darwin Valente que Geraldo Alckmin, três vezes governador de São Paulo, duas presidenciável tucano, diz que a história do doce ‘brigadeiro’, feito com chocolate e leite condensado, nasceu com o brigadeiro Eduardo Gomes, candidato à presidência em 1945. As mulheres paulistas faziam o doce para vender nos comícios bradando:

– Brigadeiro, brigadeiro, é bonito e é solteiro.

Ganhou Eurico Dutra, que era feio e casado.

Mas Darwin ressalva que o também jornalista Sebastião Nery tem outra explicação para a origem do brigadeiro, o doce. Nas lutas militares de 1922 e 1924, o valente e heroico brigadeiro foi atingido por um tiro, nas partes genitais, o que o deixou fisicamente prejudicado. Daí veio a pergunta a Sebastião Nery, o papa do folclore político brasileiro: e onde é que o brigadeiro, o doce, se encaixa nisso?

E Nery:

– Muito simples. O brigadeiro é o único doce feito sem ovos.

Lula livre começa batendo. Será que vai polarizar com Bolsonaro?

Lula saiu ontem da cadeia batendo. Atacou o que julga ser a banda podre da Justiça, da PF, do MP e da Receita Federal. Cutucou Bolsonaro, a Globo, Sérgio Moro, ‘que tentaram criminalizar a esquerda’, e mostrou que está disposto a ir para a briga.

Eis a questão: Bolsonaro, que está com sua base esfrangalhada (por si só, sem precisar de inimigos, ressalte-se), será capaz de reaglutinar o antipetismo que muito contribuiu para o eleger, polarizando o jogo político nacional, ou o Lula livre cria as condições para o nascimento de uma terceira via?

O fato é que Bolsonaro nesses primeiros 11 meses de governo não teve oposição. A sensação até agora é que temos um governo politicamente se atropelando nas próprias pernas, com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), fazendo o papel que deveria ser da articulação governista e uma oposição assistindo a tudo de camarote.

Geddel – Com a liberdade de Lula, petistas dos quatro cantos soltaram foguetes, como o deputado estadual baiano Jacó:

– Se prepare, porque esse homem vai rodar o País, vai mobilizar nosso povo, é nosso líder nato. Vamos arrumar um chazinho de folha de laranja para eles.

Passada a festa petista, vai interessar saber como a reação virá e como o jogo se estabelecerá. A única certeza até agora é que, para o bem ou para o mal, Bolsonaro vai ter com quem dividir as atenções midiáticas.

Jacó: ‘Vamos fazer um chazinho de laranja para eles’

Compartilhe