Pelo Campeonato Baiano, Vitória enfrenta o Bahia de Feira na Arena Cajueiro

O time rubro-negro só disputou três jogos no Baianão, já que teve dois jogos suspensos.

Foto: Pietro Carpi/ECV

O Vitória encara o Bahia de Feira, nesta quarta-feira (31), às 19h30, na Arena Cajueiro, em confronto válido pela sexta rodada do Campeonato Baiano.

O time rubro-negro só disputou três jogos no Baianão, já que teve dois jogos suspensos: contra o Vitória da Conquista e o Jacuipense, ambos em razão de surtos de Covid-19 nas equipes adversárias. O técnico Rodrigo Chagas optou por escalar um time alternativo para o confronto diante do Bahia de Feira. A ideia é evitar o desgaste físico de alguns atletas.

“Nos últimos dez jogos, uma sequência muito grande. A exemplo, David e Samuel fizeram dez partidas. Gabriel Bispo, João Pedro, Pedrinho e Wallace fizeram nove jogos. A gente tem mantido basicamente quase que a mesma equipe. Agora a gente tem uma semana muito forte e decisiva. Campeonato Baiano quarta [hoje] domingo Copa do Nordeste, meio de semana Copa do Brasil. Como a gente tem um elenco, não temos titulares absolutos, temos uma equipe, nesse momento acho melhor utilizar uma equipe que possa vir a ser muito competitiva nesse jogo contra o Bahia de Feira”, destacou.

Além do Bahia de Feira, o Vitória terá outro adversário no duelo: o gramado da Arena Cajueiro. Rodrigo confia na capacidade do elenco para superar esse obstáculo.

“É um campo que a gente vai ter dificuldade principalmente no início da partida, questão da adaptação, você tem que se adaptar rápido. Vamos ter cinco ou dez minutos, o quanto antes, para se adaptar ao gramado. A gente sabe que o adversário já está adaptado, sabe forma e maneira de jogar. Mas somos profissionais, vamos encarar qualquer tipo de piso. Seja um gramado mais fofo, mais rápido, sintético. O mais importante de tudo é a gente saber identificar o quanto antes essa situação e procurar o mais rápido se adaptar dentro do jogo para que as coisas possam correr bem”, afirmou o comandante rubro-negro.

O técnico Oliveira Canindé, do Bahia de Feira, classificou o jogo como “um divisor de águas”.

O jogo em si já é um fator motivacional muito grande, na verdade é um divisor de águas para todos nós, queremos saber como é que se a nossa equipe se comportará jogando contra um grande time do futebol baiano, do nordeste, do Brasil. O Vitória tem uma representatividade muito grande. Respeitaremos ele, é claro, mas na verdade estamos com uma ansiedade muito grande para que a gente possa, se Deus quiser, desempenhar um bom futebol, mostrando a qualidade e capacidade que temos”, declarou o treinador em entrevista ao Bahia Notícias.

Compartilhe