Pela 1ª vez em 5 meses, Bahia zera necessidade de leitos clínicos para infectados com coronavírus

Fábio Vilas-Boas disse nesta terça-feira (4) que é possível perceber uma lenta desaceleração de novos casos e estabilização do número de óbitos.

Foto: GOVBA

Pela primeira vez em cinco meses, a Bahia zerou a necessidade de leitos clínicos para pacientes infectados pelo novo coronavírus, que provoca a Covid-19. Houve também queda na ocupação dos leitos de UTI do estado, segundo informou o secretário de Saúde, Fábio Vilas-Boas.

Por meio de publicação em suas redes sociais nesta terça-feira (4), o chefe da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) disse que é possível notar “uma lenta desaceleração dos casos novos totais, acompanhada de redução seguida de estabilização dos casos ativos em toda a Bahia”.

“Esses dados, associados à estabilização do número de óbitos e demanda desacelerada de leitos de UTI indicam estarmos próximos do pico”, afirmou. O dado é extremamente positivo e evidentemente merece ser comemorado, mas ainda não deve refletir o movimento de retomada de atividades econômicas em algumas cidades, sobretudo Salvador, que despertou preocupação do secretário na terça-feira passada, 28 de julho.

Em entrevista ao bahia.ba, ele disse que havia “zero chances de ficar tranquilo”, porque a reabertura do comércio, que incluiu shoppings, poderia gerar uma onda de crescimento no número de infectados pelo vírus.

“Zero chances de descanso, zero chances de ficar tranquilo. Só muito trabalho, muita preocupação, ainda mais agora que o comércio começou a abrir e a gente tem que garantir que não volte a ter uma aceleração de crescimento [do número de casos]. Nós estamos trabalhando 24 horas, a equipe estressada e muito preocupada sobre como vai caminhar a Bahia ao longo dos próximos dias”, disse, na ocasião.

Compartilhe