Pedido de adiamento do Enem por organizações estudantis é negado por ministro do STJ

A UNE e a UBES defendem que o novo calendário deve ser fruto de uma conversa do governo com representantes das secretarias de Saúde dos estados.

Foto: Divulgação

O pedido feito pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e pela União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) pelo adiamento do Enem foi negado, nesta quarta-feira (13), pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Gurgel de Faria.

Segundo o G1, as entidades estudantis afirmaram que a realização do Exame Nacional do Ensino Médio não poderia acontecer na data, por causa das consequências geradas pela pandemia do novo coronavírus, como a paralisação das aulas.

No entendimento do ministro, os editais do Enem dizem respeito ao Instuto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep). Isso impede que o STJ analise o mandado de segurança.

A UNE e a UBES defendem que o novo calendário deve ser fruto de uma conversa do governo com representantes das secretarias de Saúde dos estados. As organizações entendem que os estudantes, nesse momento, estão “impedidos de estudar e se preparar para as provas em razão do isolamento social promovido pela Pandemia do COVID-19”.

Compartilhe