OMS recomenda suspensão da venda de mamíferos vivos em mercados

Abate em mercados aumenta risco de transmissão de patógenos.

Foto: REUTERS / Denis Balibouse / Direitos Reservados

A Organização Mundial de Saúde (OMS), assim como outras agências internacionais, recomendaram a suspensão, com urgência, da venda de mamíferos vivos em mercados. Segundo a OMS, a medida é necessária, já que mais de 70% dos vírus e patógenos que provocam doenças infecciosas em humanos, provém de espécies selvagens.

As orientações atentam para o fato de os animais serem abatidos e limpos em áreas abertas dos mercados, que podem ser contaminadas por fluidos corporais e outros rejeitos. Isso eleva o risco de transmissão de patógenos para as pessoas e também para outros animais no local.

“Nós expedimos centenas de orientações desde o início da covid-19, então esta é mais uma. É também importante saber que a maioria das novas doenças infecciosas tem origem em animais selvagens. Suspender a venda insegura dos mamíferos vivos para alimentação reduzirá a chance de um novo vírus aparecer no futuro.”, disse a representante da OMS, Fadela Chaib.

No ano passado, a China baniu o comércio de animais selvagens para o consumo humano. No entanto, brechas na lei permitem a criação de espécies que podem abrigar doenças.

Compartilhe