No litoral paulista, prefeito chora por morte de pai e irmão ao explicar medidas de restrição

Parte da população local não tem respeitado as medidas de restrição impostas pelas autoridades e pede a reabertura do comércio.

Foto: Reprodução / Facebook

Em live transmitida nesta quarta-feira (31) para informar a população sobre o avanço da pandemia na cidade, o prefeito de Mongaguá, no litoral de São Paulo, Márcio Melo Gomes (Republicanos) se emocionou. Ele, que perdeu o pai e o irmão na mesma semana, pela Covid-19, disse que preferia que os dois tivessem ‘quebrado’ no comércio do que perdido a vida para a doença.

“Eu sou comerciante desde os 9 anos de idade. O meu pai era comerciante, e o meu irmão era comerciante. E como eu queria hoje sair dessa live e poder ouvir do meu pai e do meu irmão assim: ‘eu quebrei, o meu comércio quebrou’. Sabe por que? Porque nós já quebramos. E com a vida, nós conseguimos dar a volta por cima. E eu não vou ouvir deles isso, mais, se quebrou ou se não quebrou. Porque infelizmente, por conta dessa doença, eles perderam a vida”, declarou, emocionado.

Parte da população local não tem respeitado as medidas de restrição impostas pelas autoridades e pede a reabertura do comércio.

Tendo em vista evitar a vinda de turistas para a região durante o feriado da Páscoa, cidades do litoral paulista estão impondo um lockdown desde o dia 23 de março. A medida dura até 4 de abril.

Segundo o G1, supermercados só podem abrir de segunda a sexta, até às 20h. Feiras livres, obras, hotéis, pensões e imóveis de temporada estão proibidos de funcionar. A circulação de pessoas e carros serão permitidas com a apresentação de documentos. Em algumas cidades, a circulação de ônibus também foi restrita, a exemplo de Santos. As praias continuam fechadas.

“Não existe nada mais precioso do que a vida de cada um de vocês, mas principalmente de quem vocês amam”, reforçou o prefeito de Mangaguá

Compartilhe