Mutuípe e Vera Cruz, na Bahia, fecham acordo com o Instituto Butantan para garantir vacinas contra a Covid-19

Ainda não há nenhuma vacina contra a Covid-19 aprovada no país. Pelo menos outros três municípios baianos anunciaram que fecharam acordos com Instituto Butantan.

Foto: Depositphotos

As cidades de Mutuípe e Vera Cruz anunciaram que fizeram um acordo com o Instituto Butantan, em São Paulo, para garantir a imunização contra a Covid-19, na sexta-feira (8).

Além de Mutuípe e Vera Cruz, pelo menos outros três municípios baianos anunciaram que fecharam acordos com Instituto Butantan. Salinas da Margarida, para a compra 10 mil doses; Itaberaba, 30 mil doses, e Amargosa, para mais de 12 mil doses.

O governo federal confirmou a compra de 100 milhões de dose da vacina. Diante do anúncio, a prefeitura de Salvador, que também tinha formalizado o interesse pela compra de 103 mil doses, anunciou que não vai mais investir recursos próprios para adquirir os imunizantes e que vai pedir prioridade do governo federal para receber as vacinas.

Ainda não há nenhuma vacina contra a Covid-19 aprovada no país. A permissão pode ser conseguida basicamente por dois caminhos. O primeiro está diretamente ligado aos dois tipos de registro (tradicional ou emergencial) que podem ser dados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Já a segunda possibilidade é baseada na chamada “Lei Covid”, que libera o uso se o imunizante tiver aval expedido por uma agência do exterior, independentemente de registro pela Anvisa.

Enquanto a população espera a aprovação de uma vacina, uma médica baiana que vive há 10 anos em Toronto, no Canadá, viveu um dos dias mais inesquecíveis da sua vida. Às 10h50 desse sábado (9), 12h50, no horário de Brasília, ela recebeu a primeira dose da vacina da Pfizer.

O diretor-geral do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou que o governo federal incorporou todas as doses da Coronavac no plano nacional de imunização, e com cláusula de exclusividade. O G1 entrou em contato com a instituição para saber se essa decisão afeta os contratos de intenção firmados com os municípios baianos, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

Até a noite deste sábado, segundo dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), a cidade de Itaberaba tinha registrado 2.497 casos e 28 mortes.

Compartilhe