MPF pede que calendário do Enem considere redes públicas e se ajuste ao ano letivo de 2020

Nesta semana, o presidente do Inep afirmou que espera definir a nova data da prova em no máximo três semanas.

Foto: Priscila Melo/Bahia Notícias

O Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo solicitou que o Ministério da Educação e o Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) revejam o cronograma de realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Nesta semana, o presidente do Inep afirmou que espera definir a nova data da prova em no máximo três semanas. O pedido do MPF, no entanto, pede que seja considerada a situação das redes públicas de ensino dos estados e do Distrito Federal e que a prova só aconteça após o encerramento do ano letivo de 2020.

Os Procuradores apontam que o objetivo da ação vai além do adiamento do Enem, com fixação de nova data para a aplicação das provas considerando as orientações das autoridades sanitárias.

É uníssona a preocupação – de alunos, gestores e educadores – com o prejuízo causado aos estudantes do ensino médio da rede pública em razão das enormes desigualdades sociais – já existentes – que estão sendo acentuadas durante o período de suspensão das aulas presenciais”, afirmam os procuradores, em nota divulgada pelo MPF.

Compartilhe