MP arquiva inquérito que apurava acusação de estupro contra Neymar

Segundo a Promotoria, Najila, a modelo que o denunciou, não entregou nenhuma das provas solicitadas.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O Ministério Publico de São Paulo decidiu arquivar o inquérito do caso em que Neymar é acusado de estupro e agressão por Najila Trindade. A decisão das promotoras Flávia Merlini e Estefânia Paulin, da Promotoria de Justiça de Enfrentamento à Violência de Doméstica de Santo Amaro foi anunciada nesta quinta-feira (8), segundo o jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com a publicação, o parecer do MP agora segue para juiz criminal do Fórum de Santo Amaro, bairro da zona sul de São Paulo onde Najila registrou boletim de ocorrência contra o jogador. O juiz pode concordar, homologar, ou pedir novas investigações.

“Importante deixar claro que o arquivamento por falta de provas pode ser reaberto a qualquer momento desde que haja novas diligências”, disse Melini em entrevista nesta quinta (8). “O que acontece em quatro paredes não é possível saber, tem a palavra dela e contra a dele, e as provas não foram suficientes para indiciamento.”

A promotora Paulin diz que, por várias vezes, solicitou diversas provas, como o celular de Najila, mas não estas foram fornecidas pela própria modelo.

De acordo com a Folha, o MP tinha outras possibilidades: arquivar o caso; discordar da Polícia Civil e oferecer denúncia contra Neymar; solicitar novas diligências como depoimentos e outras provas; oferecer denúncia contra Najila pelo crime de denunciação caluniosa.

A Polícia Civil, a pedido do pai de Neymar e do próprio jogador, já investiga Najila por tentativa de extorsão e denunciação caluniosa.

Compartilhe