Moradores afirmam que cães são arremessados de viaduto em Salvador e cobram providências: ‘Problema antigo’

Animais são atirados de altura de 15 metros na Via Expressa.

Foto: Reprodução/TV Bahia

Moradores do bairro da Baixa de Quintas, em Salvador, afirmam que cães têm sido atirados do alto do viaduto da Via Expressa Baía de Todos-os-Santos. Segundo as pessoas que moram no entorno do complexo viário, somente este ano seis animais foram arremessados e cinco deles não resistiram aos ferimentos.

O equipamento tem 15 metros de altura. Testemunhas contam que alguns crimes ocorrem até mesmo à luz do dia. Elas descrevem que a situação é parecida em todos os casos: o motorista para o veículo no acostamento, sai com o animal do carro e o arremessa do viaduto.

O líder comunitário Alisson Gomes diz que o problema é antigo e os casos passaram a ser mais frequentes no período da pandemia. Para ele, é necessária a instalação de uma proteção no viaduto, para evitar o problema

Alisson acrescenta que um pedido já foi registrado na Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), que enviou técnicos ao local, mas nada foi feito.

“Eu já estive na Conder há quatro anos, relatei os fatos e o órgão enviou uma equipe de engenheiros aqui. Fez vistoria, relatório e prometeu colocar uma grande na parte superior do viaduto, mas infelizmente, até hoje, nada”, detalha o líder comunitário

O órgão informou que foi responsável pela obra do Complexo Viário da Via Expressa, mas a partir da entrega do equipamento ao município, a responsabilidade para instalação e manutenção de equipamentos é da prefeitura.

A diretoria de Bem-estar e Proteção Animal do Município informa que foi enviado um requerimento aos órgãos de segurança pública solicitando a ampliação de ronda policial e instalação de câmeras de monitoramento na localidade, para inibir novas ocorrências.

A feirante Jéssica do Nascimento, que vive na região, diz que no último caso, ocorrido na segunda-feira (19), o cão sobreviveu somente porque bateu em uma pessoa que estava embaixo do viaduto.

“As ONGs estão lotadas devido a vários acidentes com animal, maus-tratos e abandono. O da segunda-feira, está com as duas patas quebradas, da frente e de trás. Na hora da queda, ele bateu em um menino que estava jogando bola e por isso o resultado não foi tão drástico”, comentou, ressaltando que o cão teve as quatro patas quebradas.

Compartilhe