Ministro do STJ nega liberdade a dois suspeitos de hackear celulares de autoridades

Ministro considerou que ainda estão pendentes decisões de instâncias inferiores.

Foto: José Cruz/Agência Brasil

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Reynaldo Soares da Fonseca, rejeitou hoje (11) os pedidos de liberdade de dois dos quatro suspeitos de hackear telefones de autoridades brasileiras: Gustavo Santos e Suelen de Oliveira.

O ministro rejeitou o habeas corpus por considerar que ainda estão pendentes decisões de instâncias inferiores. Se a defesa recorrer, o caso ainda poderá ser analisado na Quinta Turma do tribunal. A defesa, ainda, pode recorrer ao Supremo Tribunal Federal.

“Não é o que ocorre na espécie. Consoante se observa dos autos, a decisão que indeferiu o pedido liminar na origem não ostenta ilegalidade evidente e apta a desafiar controle antecipado por este Superior Tribunal, pois, sob a cognição sumária, considerou fundamentada a prisão preventiva dos pacientes, não apresentando qualquer ilegalidade ou teratologia”, argumentou Reynaldo Soares da Fonseca.

Compartilhe