Ministério da Saúde escolheu entrega mais demorada de seringas para vacinação contra Covid

Primeiro orçamento apresentado pela Opas, em setembro de 2020, previa entrega de seringas entre dezembro de 2020 e fevereiro de 2021.

Foto: Pixabay

O Ministério da Saúde optou pela entrega mais demorada de seringas para a vacinação contra a Covid-19 ao fechar um contrato de compra de 40 milhões com a Organização Panamericana de Saúde (Opas), conforme publicação de ontem (12) do jornal “O Globo”, que solicitou os dados através da Lei da Acesso à Informação.

O frete por avião previa a entrega de seringas entre dezembro de 2020 e fevereiro de 2021, mas o ministério considerou o preço para a compra e entrega do material e optou por um novo orçamento oferecido pela Opas, que prevê o transporte por navio, com entrega a partir deste mês de janeiro.

De acordo com o governo, o primeiro orçamento apresentado pela Opas, em setembro de 2020, estabelecia um valor total de US$ 4,6 milhões para a compra e entrega das seringas. O governo, no entanto, pediu um novo orçamento, que só foi apresentado pela Opas em dezembro, e o acordo foi fechado pelo valor de US$ 1,3 milhão.

Compartilhe