Miliciano envolvido em morte de Marielle é localizado e morto por polícia baiana

Ex-policial militar do Rio de Janeiro, Adriano Magalhães da Nóbrega, estava escondido na cidade de Esplanada.

Foto: Divulgação/SSP

Equipes da Secretaria da Segurança Pública da Bahia localizaram, na manhã de hoje (9), o foragido da Justiça do Rio de Janeiro, Adriano Magalhães da Nóbrega, investigado por envolvimento na morte de Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. O ex-policial militar carioca estava escondido na cidade de Esplanada, no interior da Bahia.

Adriano passou a ser monitorado por equipes da Superintendência de Inteligência (SI) da SSP da Bahia, após informações de que ele teria buscado esconderijo no estado. No momento do cumprimento do mandado de prisão, ele resistiu com disparos de arma de fogo e terminou ferido. Ele foi socorrido e levado para um hospital da região, mas não resistiu aos ferimentos. Quatro armas foram apreendidas na casa onde estava.

“Procuramos sempre apoiar as polícias dos outros estados e, desta vez, priorizamos o caso por ser de relevância nacional. Buscamos efetuar a prisão, mas o procurado preferiu reagir atirando”, comentou o secretário da Segurança Pública da Bahia, Maurício Teles Barbosa.

Uma operação das polícias da Bahia e do Rio de Janeiro tentou, mas não conseguiu prender na sexta-feira (31), em um condomínio na Costa do Sauípe, o ex-capitão da PM Adriano Magalhães da Nóbrega, de acordo com a Folha.

Em 31 de janeiro, uma operação entre as polícias do Rio de Janeiro e da Bahia tentou prender Adriano em um condomínio em Costa do Sauípe. Ele era acusado de comandar a mais antiga milícia do Rio e é citado na investigação que apura a prática de “rachadinha” no antigo gabinete do senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Compartilhe