Maia diz que auxílio para trabalhador informal pode ser elevado de R$ 200 para R$ 500

Na semana passada, governo havia proposto pagamento de R$ 200. Para Maia, prioridade é dar condições para que brasileiros enfrentem confinamento e crise gerada pela epidemia.

Foto: Luiz Felipe Barbiéri / G1

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse nesta quinta-feira (26) que o valor do auxílio mensal a ser pago aos trabalhadores autônomos, informais e sem renda fixa durante a crise gerada pela pandemia do novo coronavírus pode ser elevado para R$ 500. O valor consta de um projeto de lei que deve ser votado pela Câmara nesta quinta.

Em entrevista no Câmara, Maia também defendeu que a prioridade neste momento não é “o impacto fiscal”, ou seja, a queda de arrecadação do governo devido à crise gerada pela epidemia. Para o presidente da Câmara, o mais importante é dar condições para que os brasileiros consigam passar pele crise.

“Eu entendo a posição do governo, claro. O governo ainda trabalha, do meu ponto de vista, sem nenhuma crítica, apenas uma análise, na questão do impacto fiscal, que eu acho que nesse momento não é a questão mais importante. A questão mais importante é a gente conseguir segregar as nossas decisões para o ano de 2020, que elas não sejam permanentes” , disse Maia.

Compartilhe