Jaques Wagner classifica como ‘absurdo’ vazamento de delação premiada

Senador disse que se reunirá com advogado para saber de conteúdo das delações em que foi citado.

Foto: Izis Moacyr/ bahia.ba

O senador Jaques Wagner (PT) fez um duro ataque aos vazamentos das delações premiadas da Lava Jato – nesta semana, o petista foi citado e acusado de ter recebido, através de um operador financeiros, valores indevidos referente à construção da Torre Pituba, sede da Petrobras em Salvador.

“[O que sinto é] Tristeza pelos caminhos que o Ministério Público e o Judiciário continuam usando. É um absurdo. Eu sou citado e alguém… O cidadão rouba pra caramba, compra os iates, mansões, e quando sai diz que ‘fez isso pra ajudar fulano’, ‘entreguei o dinheiro a beltrano’. Estarei com meu advogado hoje à tarde para tomar conhecimento”, disse, em entrevista a jornalistas nesta quinta-feira (16), durante a Lavagem do Bonfim.

“Eu acho deplorável é alguém mandar pra publicação e o jornalista sequer ouvir o outro lado. Pega os três delatores e faz a delação pública, me encarando, dizer na minha frente que vez em que sentei com qualquer um dos três. Por que não tem acareação? O mínimo de bom tom era, antes de colocar na rua, ouvir as duas versões”, pontuou.

Sobre a disputa pela prefeitura de Salvador, Wagner opinou que o PT deve definir o pré-candidato até o fim de janeiro. “Se o lado de lá acha que já ganhou, eu acho ótimo. Quem sabe no domingo da eleição eles tomem um susto”, afirmou.

Compartilhe