Interferência na PF: Bolsonaro decide não prestar depoimento e pede conclusão do inquérito

Decisão foi informada nesta quinta (26) ao STF pela AGU.

Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro abriu mão de prestar depoimento à Polícia Federal no inquérito que apura sua suposta tentativa de interferência na autonomia da corporação. A decisão foi informada hoje (26) ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela Advocacia-Geral da União (AGU).

O inquérito está paralisado desde 17 de setembro em razão da indefinição sobre o depoimento do presidente da República. No documento, a AGU informa ao STF o desejo de “declinar do meio de defesa que lhe foi oportunizado unicamente por meio presencial no referido despacho”, em referência ao depoimento. O governo tentava autorização para que Bolsonaro pudesse apresentar depoimento por escrito, em vez de comparecer presencialmente.

A abertura do inquérito foi autorizada no final de abril e tem como base a denúncia feita pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro, que pediu demissão alegando uma tentativa de Bolsonaro de interferir na PF para proteger familiares e aliados.

Compartilhe