Greta Thunberg rejeita prêmio de 47 mil euros e cobra ação de políticos

"O movimento pelo clima não precisa de mais prêmios", declarou Thunberg.

Foto: Reprodução/Flickr European Parliament

A ativista sueca Greta Thunberg rejeitou hoje (30) o prêmio ambiental do Conselho Nórdico. Em publicação no Instagram, Thunberg declarou que o movimento precisa não de mais prêmios, e sim de mais atenção de políticos com a ciência disponível.

“Agradeço ao Conselho Nórdico por esta distinção. É uma grande honra. Mas o movimento pelo clima não precisa de mais prêmios. O que precisamos é que os líderes e os políticos ouçam a melhor ciência disponível”, apontou ela. Tanto o prêmio quanto o valor entregue aos homenageados, de quase 47 mil euros, foram negados pela ativista.

“Os países nórdicos têm grande reputação em todo o mundo quando se trata de questões climáticas. Não há falta de palavras bonitas. Mas quando falamos das nossas emissões reais e a nossa pegada ecológica per capita (…) é uma história totalmente diferente”, criticou ela. “Na Suécia, vivemos como se houvesse quatro planetas, de acordo com a WWF e a Global Footprint Network. E quase o mesmo se aplica a toda a região nórdica. O fosso entre o que a ciência exige (…) e a política que governa os países nórdicos é gigante”, declarou Thunberg.

Compartilhe