Governo estuda fatiar a reformulação do Bolsa Família diante de impasse orçamentário

Primeira etapa entraria no próximo ano e a segunda apenas em 2021.

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Ainda sem recursos disponíveis para a reformulação do Bolsa Família de uma só vez, o governo federal avalia implantar o novo programa em duas fases, de acordo com a coluna Painel da Folha, publicada hoje (12).

A primeira etapa entraria no próximo ano e a segunda apenas em 2021. A equipe econômica sugeriu reservar um adicional de apenas R$ 3,6 bilhões no Orçamento em 2020, diante dos gastos extras. O valor equivale a cerca de um quarto do valor estimado para a revisão completa do programa, que é pretendida por Jair Bolsonaro.

Parlamentares que estão a par do Orçamento dizem que, para garantir os recursos extras necessários ano que vem, o governo cogitar desidratar outros programas sociais, a exemplo do seguro-defeso. O estudo sobre como dividir a entrada do novo Bolsa Família e como financiar o programa não foi concluída. Assim, a cerimônia de lançamento, prevista para hoje (12), foi adiada.

Compartilhe