Fornos utilizados em produção ilegal de carvão vegetal são destruídos em operação na BA

A operação ainda repercutiu na aplicação de 7 (sete) autos de infração emitidos em campo para os condutores de caminhões

O Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), por intermédio da Unidade Regional – Sudoeste, realizou uma ação de fiscalização, titulada como Terra de Fogo, em parceria com a Companhia de Polícia do Sudoeste (CIPPA) – Porto Seguro contra o tráfico ilegal de madeira nativa e desmatamento na região sudoeste da Bahia.

A operação que ocorreu nos municípios de Guanambi, Palmas de Monte Alto e Sebastião Laranjeiras, foi norteada por recursos tecnológicos, que consistiu no uso de inteligência e ajuste estratégico de imagens via satélite coletadas por um drone (veículo aéreo não tripulado), contabilizando 80 minutos de voo que auxiliaram na constatação de 250 hectares de áreas desmatadas na região.

Na ocasião, ainda foram realizadas duas blitz, na BR 030 e BR 122, com a finalidade de identificar e combater atividades clandestinas, resultando na apreensão de 01 Motosserra, 136 unidades de lenha, 40 MDC (medida de volume) de carvão, 12 toras de aroeira e 40 toras de angico.

Além da lenha recolhida na operação no final do último mês, também foram encontrados e destruídos cerca de 103 fornos que eram utilizados para a produção ilegal de carvão vegetal, com maior volume no município de Palmas de Monte Alto. A operação ainda repercutiu na aplicação de 7 (sete) autos de infração emitidos em campo para os condutores de caminhões que transportavam madeira nativa do bioma Caatinga, proveniente de desmatamento ilegal na região.

É crime ambiental desmatar, provocar incêndio em mata ou floresta, extrair, cortar ou utilizar para fins comerciais a madeira, lenha, carvão e outros produtos de origem vegetal sem autorização devida, defendida pela lei federal 9.605/98.

Compartilhe