Flordelis terá que usar tornozeleira eletrônica e é proibida de sair de casa das 23h às 6h

Deputada é acusada de ser mandante da morte do marido, o pastor Anderson do Carmo.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A deputada federal Flordelis (PSD-RJ) passará a ser monitorada por tornozeleira eletrônica e terá que cumprir o recolhimento domiciliar das 23h às 6h. A decisão foi tomada pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, no Rio de Janeiro, nesta sexta-feira (18).

Flordelis e os filhos são alvos de investigação no caso da morte do marido dela, o pastor Anderson do Carmo. Ré no processo, a deputada é acusada de ser a mandante do crime, que ocorreu em junho do ano passado, dentro da casa da família, em Niterói. Apesar da acusação, Flordelis não pode ser presa por possuir imunidade parlamentar.

Na época do crime, a deputada afirmou em depoimento à imprensa que o marido teria sido morto em um assalto, contudo, o inquérito judicial concluiu que o pastor foi morto por questões financeiras e de poder dentro da família. Flordelis, sete filhos do casal e outras três pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público do RJ.

Conforme a Justiça, a deputada vai responder pelos crimes de tentativa de homicídio, homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima), associação criminosa, falsidade ideológica e uso de documento falso.

Compartilhe