Explosão em navio no Porto de Aratu de Candeias assusta moradores

Caso aconteceu na tarde desta quinta-feira (9). Ainda não há detalhes sobre a causa do incêndio.

Foto: Divulgação

Uma explosão em um navio por volta das 12h desta quinta-feira (9), no Porto de Aratu de Candeias, assustou moradores da comunidade quilombola da Boca do Rio. Conforme a Marinha do Brasil, o incêndio foi controlado pelo pessoal de bordo, não houve feridos e não foi constatada a presença de vestígios de poluição hídrica.

De acordo com a Marinha, o caso aconteceu no navio gaseiro “Forte de São Marcos”, que encontra-se atracado no Terminal Portuário de Aratu. Imediatamente, uma Lancha de Inspeção Naval Blindada foi deslocada da Base Naval de Aratu para o local.

Segundo a instituição, também foram enviadas ao local três equipes de Inspeção Naval da CPBA – uma por terra e as outras duas por via marítima – para iniciar a apuração e garantir a segurança da navegação.

As causas e responsabilidades da explosão serão determinadas em Inquérito Administrativo instaurado pela Marinha do Brasil.

Em nota, a Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba) afirmou que foi uma explosão isolada, ocorrida durante o processo de desgaseificação dos tanques do navio, que precedem todas as operações de recebimento de gases.

Segundo a Codeba, todos os protocolos de segurança na área portuária foram seguidos. A empresa proprietária do navio relatou à companhia que não houve vítimas e que, por causa dos tanques conterem apenas Nitrogênio (gás inerte), não há risco de nova explosão.

Após a explosão, moradores da comunidade quilombola da Boca do Rio fizeram imagens que mostravam o navio com muita fumaça.

“Deu um estrondo, as casas daqui tremeram todas. Quando eu sai na frente [da casa], vi subindo uma ‘bola de fogo’ e subiu uma fumaça preta”, disse o morador Romualdo Nobre.

“Foi um negócio feio. Foi um estrondo, a casa do meu vizinho do primeiro andar tremeu toda. Começou a sair uma fumaça preta e depois diminuiu com uma fumaça branca”, contou.

Equipes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) foram acionados e também foram ao local. Além de funcionários da Prefeitura de Candeias, Defesa Civil do Município e Secretaria de Meio Ambiente e uma equipe de brigadistas.

Conteúdo G1

Compartilhe