Eva Luana: padrasto acusado de estuprar e torturar enteada é condenado a 35 anos de prisão

Eva utilizou as redes sociais em fevereiro deste ano para relatar uma série de estupros, torturas e violência que sofreu da parte do padrasto dela desde os 12 anos de idade.

Foto: Reprodução/Redes Sociais

O padrasto da estudante Eva Luana, acusado de estuprar e torturar a enteada na cidade de Camaçari (BA) foi condenado pela Justiça a 35 anos de prisão em regime fechado e a a um ano e três meses de detenção em regime aberto. As informações são do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA).

Thiago Oliveira Alves foi denunciado pelo MP-BA da Bahia à Justiça e teve a prisão preventiva decretada em fevereiro deste ano. Ele foi condenado pelos crimes de lesão corporal no âmbito da violência doméstica, tortura e estupro de vulnerável. A decisão foi publicada nesta quarta-feira (14) pelo juiz Ricardo José Vieira de Santana. O processo continua em segredo de Justiça.

No stories, a estudante Eva Luana comentou a decisão coma seguinte mensagem: ‘farei um vídeo falando sobre isso, mas agora só consigo agradecer’. Ela comentou também que quer que a situação que viveu e os seus relatos possam dar força para outras meninas que tenham sido abusadas.

Eva utilizou as redes sociais em fevereiro deste ano para relatar uma série de estupros, torturas e violência que sofreu da parte do padrasto dela desde os 12 anos de idade.

Ela relatou ainda que, inicialmente, somente a mãe era a vítima do Thiago, mas depois ela passou a ser violentada por ele também. A mãe de Eva confirmou toda a denúncia em uma depoimento à justiça.

Compartilhe