Escudero não fecha portas para o Vitória: “Daqui a um mês tem outro presidente”

O atleta lembrou as dificuldades que passou durante o período de avaliação.

Foto/reprodução: Galáticos Online

Após a novela acabar com final infeliz para grande parte da torcida, o meia Escudero comentou sobre a negociação com o Vitória. Em entrevista exclusiva à Equipe dos Galáticos, na noite da última quarta-feira (3), o argentino se mostrou abatido e decepcionado com a não permanência no clube.

“Houve um desgaste muito grande. Ficou um desentendimento entre o pessoal da intermediação (seus representantes) e o clube. Ficou fazendo uma negociação que não tinha que fazer. Foi isso que me fez decidir não ficar. Fiquei falando com o presidente, sai do clube ontem mais de 22h. Não preciso passar por isso”, disse.

O jogador explicou que os dirigentes do Rubro-Negro não foram corretos com ele. “Fiquei sabendo do contrato que ia receber só na segunda-feira. Eu aceitei e fui lá, mas falaram muita coisa. Fiquei muito chateado quando o presidente adiou a reunião (seria na sexta-feira). Eram 30 dias. Todos já tinha dado o relatório, os médicos, fisiologia, departamento físico. Aí o presidente fala que ia deixar para reunir segunda-feira para me avaliar em um coletivo. Isso me deixou com muita raiva. Não preciso me expor a isso”.

O atleta lembrou as dificuldades que passou durante o período de avaliação. “Fiquei longe da minha família por 40 dias. Meu filho fez aniversário semana passada e eu não estive lá. Meu outro filho faz um ano semana que vem. Eu só aceitei passar por isso tudo porque é o Vitória. Aí ficaram me enrolando. Minha cabeça já estava explodindo. Ele (Ricardo Davi) me chamou hoje com a mesma conversa e eu disse que não dava mais, preferi sair”.

O gringo garantiu que dinheiro não foi o motivo para não ter ficado no Leão. “Dinheiro não foi problema. Eu aceitei a proposta que ele me ofereceu. O que me chateou muito foi como as coisas aconteceram. Não cumpriram o trato que tinham comigo. Quando eu vim para cá falaram uma coisa e depois foi metade, mas mesmo assim eu acabei aceitando. Dinheiro não foi problema. Minha vontade era grande de ficar no Vitória, mas infelizmente não deu certo. Fico muito triste”. Leia mais no Galáticos Online

Compartilhe