‘É protegido até hoje’, diz Bolsonaro sobre autor de atentado que sofreu em 2018

Em maio do ano passado, a Justiça concluiu que Adélio tem transtorno mental e é inimputável, ou seja, é incapaz de entender seu crime e responder por seus atos.

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a abordar neste sábado (18), o atentado que sofreu durante a campanha eleitoral de 2018. Segundo ele, o autor da facada, Adélio Bispo de Oliveira, “é protegido até hoje”.

“Jamais o sistema podia sonhar que uma pessoa, com o nosso perfil, poderia chegar à Presidência da República”, afirmou Bolsonaro em discurso no evento, em Brasília. “A facada só aconteceu quando este sistema teve a certeza de que a única maneira de nos deter seria a eliminação física. E não é a toa que o assassino é protegido até hoje. O sistema protege esta pessoa”, acrescentou, sem detalhar qual seria a proteção recebida por Adélio Bispo.

Em maio do ano passado, a Justiça concluiu que Adélio tem transtorno mental e é inimputável, ou seja, é incapaz de entender seu crime e responder por seus atos.

Compartilhe