DPT vai iniciar coleta de DNA dos familiares de pessoas desaparecidas

Amostras de DNA vão ajudar na busca de pessoas desaparecidas para inclusão no Banco de Perfis Genéticos.

Foto: reprodução / Bahia.Ba

O Departamento de Polícia Técnica iniciará, na próxima segunda-feira (14), às 10h, no auditório da sede da unidade, na Avenida Centenário, em Salvador, a coleta de DNA dos familiares de pessoas desaparecidas para inclusão no Banco de Perfis Genéticos. A ação, integra um projeto nacional, que visa inserção destas amostras no Banco de Perfis Genéticos para confronto com as amostras de corpos não identificados ou ossadas. A iniciativa está sendo realizada em parceria com o Ministério da Justiça (MJ).

A perita criminal e uma das representantes do DPT no Comitê Gestor do Projeto, Tânia Gesteira, explicou que o fato da rede integrar outros estados da Federação, significa dizer que, se um corpo for encontrado na Bahia e seus parentes realizarem as coletas no Rio de Janeiro, por exemplo, o Banco vai apontar a confirmação do parentesco. “A grande vantagem do Banco de Perfis é justamente localizar as famílias dos corpos que nós não temos nenhum indício de identificação”, pontuou.

Na Bahia, as primeiras famílias a terem seu material genético coletado serão as que já são cadastradas na Coordenação de Antropologia Forense. “Nós vamos começar com essas famílias porque elas já possuem registros no nosso sistema e já aguardam informações sobre parentes desaparecidos”, explicou Letícia Sobrinho, Coordenadora de Antropologia e parceira da Coordenação de Genética na coleta das informações e das amostras. O Departamento também irá contar com o apoio da Polícia Federal nessa Campanha.

As famílias que já possuem cadastro na Coordenação de Antropologia Forense devem entrar em contato com o número 3116-8622 para agendarem suas coletas.

Compartilhe