Deputados brasileiros contestam custo da dose de vacina

Franco falou sobre a entrada do Brasil na Covax Facility, que poderá ter um custo total de R$ 2,5 bilhões.

Foto: Reprodução / G1

Deputados que fazem parte da comissão externa de enfrentamento à Covid-19 criticaram nesta quarta-feira (7) o custo da dose de vacina estimado pelo governo na aliança internacional Covax Facility.

Membros do colegiado, incluindo vice-líder do governo e deputados aliados de Jair Bolsonaro, contestaram os valores apresentados pelo secretário executivo do Ministério da Saúde, coronel Élcio Franco, em reunião técnica. Franco falou sobre a entrada do Brasil na Covax Facility, que poderá ter um custo total de R$ 2,5 bilhões.

Esse valor inclui R$ 711 milhões para adesão à iniciativa, em recursos que serão destinados a um fundo que servirá para incentivar as farmacêuticas para produzir e acelerar pesquisa e desenvolvimento.

Também contempla R$ 91,8 milhões em opção de compra de uma eventual vacina. “Estamos comprando algo que não existe. É, portanto, um contrato de risco”, afirmou Flávio Werneck, assessor internacional do gabinete do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Esse valor seria reembolsável, caso o país decida não comprar a vacina. O governo se comprometeu a pagar a adesão até esta sexta-feira (9).

Compartilhe