Dado Cavalcanti aprova desempenho do Bahia e projeta ‘mudança de chave’ após ponto

Na opinião do treinador, os erros no último passe pesaram para que o Esquadrão de Aço não conseguisse vencer o jogo.

Foto: Carlos Costa/Futura Press/Folhapress

Após o empate em 1 a 1 com o Atlético Goianiense neste domingo (10), o técnico Dado Cavalcanti, do Bahia, fez elogios ao desempenho da sua equipe. Com a dedicação em campo como principal referência, o treinador disse que espera uma “mudança de chave” no Esquadrão de Aço após dar fim a uma série de sete derrotas seguidas.

“O ponto ele nos faz dar um passo à frente. Dizer que estou satisfeito não é a melhor colocação agora. Fizemos um bom jogo, poderíamos ter vencido… É um sentimento ambíguo, poderiamos ter coisas melhores, fizemos por onde, mas mérito de todos que lutaram até o final. Fomos insistentes, persistimos muito. Os jogadores foram voluntariosos, se entregaram ao extremo. Espero que seja o simbolismo de uma mudança de chave e que a gente consiga triunfos para andar mais em busca do nosso objetivo”, disse.

Na opinião do treinador, os erros no último passe pesaram para que o Esquadrão de Aço não conseguisse vencer o jogo. Novamente em tom otimista, ele indicou que a volta aos triunfos está próxima.

“Faltou a tranquilidade da última bola. Pesou também o fato de ter tomado um gol no início do jogo. Mais uma vez a gente teve que correr atrás do resultado e quando a gente corre atrás, a gente perde mais energia, ficamos mais vulneráveis, a confiança acaba sendo abalado, mas fomos agressivos e concentrados. Faltou muito pouco para voltar a vencer. Nesse andamento, estamos no caminho certo. Me incomoda não vencer e não tem ninguém acomodado no vestiário. O tempo está passando, os ajustes estão sendo feitos… Está faltando pouco para definir um jogo favorável para a gente”, pontuou.

Dado também explicou o fato do zagueiro Anderson Martins e do volante Ramon saírem do time titular.

“A condição do Ramon aconteceu por uma troca tática. Tinha utilizado quatro homens de meio no jogo passado e dessa vez usei três. Dei preferência ao Daniel e ao Ramírez, por conta disso o Ramon não permaneceu. O Anderson fez uma grande partida, certamente a melhor dele. Porém é um jogador que joga muito mais pelo lado esquerdo, o Juninho ficou fora do outro jogo. Anderson é construtor, me dá um retorno positivo e o Juninho é mais rápido. Optei por liberar o Matheus Bahia desse lado e sabia que os contra-ataques poderiam surgir. Foi uma situação estratégica”, disse.

Com 29 pontos, o Bahia segue na briga contra o rebaixamento. A equipe volta a entrar em campo no próximo dia 20 de janeiro, contra o Athletico Paranaense, na Arena Fonte Nova.

Compartilhe