Cristóvão Éder sobre a fabricação clandestina de espadas: temos recebido denúncias de várias cidades da região

Proibida desde 2011, a fabricação de espadas é considerada crime pela justiça, depois que o Ministério Público (MP-BA) alegou risco a população.

Mesmo com a proibição, a fabricação das espadas de fogo segue acontecendo em várias cidades da região, incluindo Cruz das Almas, Muritiba, São Félix, Maragojipe e São Felipe. A informação foi confirmada ao Forte na Notícia pela Polícia Civil. Segundo o delegado Cristóvão Éder, nos últimos meses a Depol recebeu inúmeras denúncias sobre a fabricação clandestina do artefato. “Isso é o que tem chegado para a gente”, resumiu. Proibida desde 2011, a fabricação de espadas é considerada crime pela justiça, depois que o Ministério Público (MP-BA) alegou risco a população. Ao longo dos anos, a ilegalidade na queima do artefato fez com que os espadeiros buscassem áreas periféricas com o objetivo de fugir das ações policiais. Em 2019, uma ação conjunta das Polícias Militar e Civil, com apoio do MP resultou na prisão de várias pessoas, além de apreensões de grande quantidade de material utilizado na fabricação do artefato incendiário. Pelo visto, a centenária guerra de espadas deve continuar atraindo cada vez mais adeptos e mantendo viva a tradição junina.

Compartilhe