Contra a reeleição, vice-presidente Mourão diz que quer ‘alternância no poder’

Bolsonaro tem admitido a possibilidade de tentar a reeleição, ainda que já tenha dito que não o faria.

Foto: Reprodução/Twitter

Vice-presidente da República, Hamilton Mourão deve se manter na decisão de quando foi eleito e não deverá seguir o presidente Jair Bolsonaro em uma possível reeleição no ano de 2022. Participando de uma live, comandada pela vereadora Comandante Nadia (DEM-RS), na segunda-feira (27), Mourão defendeu alternância de poder.

“Eu sou um crítico do instituto da reeleição. Não ficou bem. Vejo que os nossos gestores são eleitos já pensando na eleição seguinte. ‘Tenho que ficar esses quatro anos e depois mais quatro anos’. Seria melhor se tivéssemos mandatos de cinco anos e depois dava um interregno. Isso favoreceria a alternância no poder”, afirmou.

E acrescentou: “Acho que a política seria melhor praticada dessa forma e não essa busca incessante por se manter no cargo, na função. Acho que a população brasileira anseia que a política seja realmente aquilo que nós temos como ideal, ou seja, a busca de união em torno de um programa que seja factível, que não seja de promessas vazias”.

Bolsonaro também costumava defender alternância de poder, mas como voltou atras em muitas das suas decisões depois de ser eleito, tem admitido a possibilidade de tentar a reeleição, ainda que tenha dito durante a campanha eleitoral que não o faria se fosse eleito.

“Não quero descartar isso aí. O que eu falei lá atrás é que eu não disputaria uma reeleição caso fizesse uma boa reforma política —por exemplo, reduzindo o número de parlamentares. Como isso não está previsto acontecer, uma possível reeleição, a gente não descarta, mas não vivo em função disso”, disse Bolsonaro em entrevista à BandNews em junho. Com informações da coluna Painel. da Folha de S.Paulo.

Compartilhe