Condomínios na Av. Paralela e no bairro de Canabrava, em Salvador, têm invasão de ‘barbeiros’

Insetos são principais transmissores da Doença de Chagas. Segundo a Sesab, em 2019 foram confirmados 29 casos na Bahia.

Foto: Reprodução/TV Bahia

Condomínios na Avenida Paralela e no bairro de Canabrava, em Salvador, sofreram uma invasão de barbeiros nesta semana. Os insetos são principais transmissores da Doença de Chagas. Segundo a Sesab, em 2019, já foram confirmados 29 casos da doença na Bahia.

Andressa Sá, moradora de um condomínio, que fica na Avenida Paralela, encontrou o inseto perto do marido, na parede do apartamento do casal. Ela é mãe de um bebê de sete meses e ficou assustada, porque o barbeiro é vetor da doença de Chagas. O inseto foi encaminhado para o Centro de Controle de Zoonoses.

“Eu coloquei no grupo [de WhatsApp] de mães do condomínio, foi aí que apareceu outras pessoas informando que no apartamento elas já tinham encontrado também”, disse Andressa Sá.

Moradores de um condomínio no bairro de Canabrava encontraram barbeiros em dois apartamentos na quinta-feira (7). Os insetos foram levados para análise e o resultado mostrou que um deles é adulto e estava infectado.

“Muitas pessoas aqui no prédio têm filhos bebês, então gera uma preocupação maior de se a criança ver o inseto ou entrar em contato na hora de dormir principalmente”, contou a moradora Poliana Pereira.

O Centro de Controle de Zoonoses recolheu 210 amostras de barbeiros entre janeiro e início de novembro deste ano, em Salvador. Desse total, 40% estavam em condomínios de luxo, na Avenida Paralela e quase a metade dos insetos estava infectada pelo protozoário causador da doença de Chagas.

“Em todos os imóveis em que são encontrados os barbeiros é feito uma avaliação mais minuciosa. O nosso interesse maior é saber se o barbeiro está domiciliado, ou seja, se já está colocando ovos na residência”, disse a bióloga do Centro de Controle de Zoonoses, Eliaci Costa.

Segundo a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), no ano passado, 175 pessoas foram diagnosticadas com a doença de Chagas no estado. O barbeiro vive nas matas e se alimenta do sangue de animais, mas com a ocupação por humanos de seu habitat natural, eles têm chegado com mais frequência às residências. A transmissão para o humano acontece através do contato com as fezes do inseto.

Caso você encontre um barbeiro, é preciso usar luvas ou sacos plásticos para capturar o inseto, depois colocar ele dentro de um vaso onde ela possa respirar e ligar para o Centro de Controle de Zoonoses.

A doença de chagas tem duas fases. Na fase aguda, logo apos a picada do inseto, a pessoa pode não sentir nada ou ter febre por até sete dias, dor de cabeça, inchaço no rosto e fraqueza intensa. Já na fase crônica, a pessoa infectada pode ter problemas digestivos e até insuficiência cardíaca.

Compartilhe