Comitê Científico recomenda lockdown em Salvador e mais 3 cidades baianas

As sugestões foram anunciadas na manhã desta sexta-feira (3) em coletiva de imprensa realizada pelos coordenadores do grupo, Sérgio Rezende e Miguel Nicolelis.

Imagem: Reprodução / A Tarde

Após a conclusão de mais um boletim, o Comitê Científico do Consórcio Nordeste recomenda a instituição imediata de lockdown em Salvador, Feira de Santana, Itabuna e Teixeira de Freitas. As sugestões foram anunciadas na manhã desta sexta-feira (3) em coletiva de imprensa realizada pelos coordenadores do grupo, Sérgio Rezende e Miguel Nicolelis.

“Basicamente, estudamos Salvador por mais de um mês. Seguindo a curva de casos, número de óbitos, variação da ocupação dos leitos de UTI… Tivemos várias oscilações, às vezes subia pra 86%, aí descia pra 80%. Mas aí essa ocupação foi se consolidando acima de 80% e a gente viu que havia uma oscilação e uma dinâmica que mostra que essa aceleração pode aumentar ainda”, explicou Nicolelis ao ser questionado sobre os critérios para a recomendação durante a coletiva virtual.

Ele acrescenta que os gráficos de crescimento de velocidade mostram que a situação é crescente na capital baiana e que as medidas setorializadas, adotadas pela gestão municipal, não tem surtido o efeito desejado.

Essa recomendação é feita no momento em que a Prefeitura de Salvador diz trabalhar na elaboração de um protocolo conjunto, com o Governo do Estado, para a retomada das atividades. O prefeito ACM Neto (DEM) chegou a dizer que poderiam anunciar as medidas na terça-feira (30), mas depois passou a informar que os governos municipal e estadual deveriam alinhar os pontos finais do protocolo até o fim desta semana.

LOCKDOWN NO INTERIOR

No interior baiano, a situação não é muito diferente. O cientista Miguel Nicolelis pontua que são cidades com grande sobrecarga no sistema de saúde, poucos leitos de UTI disponíveis e curva de casos em ascensão.

“Feira de Santana é um caso bem típico disso. Teixeira de Freitas também e há necessidade de barrar essa transmissão do vírus em condições bem adversas”, frisa.

O boletim do comitê também indica que barreiras sanitárias e um possível bloqueio intermitente de tráfego de carros particulares e ônibus intermunicipais devem ser adotados na rodovia que liga Feira à capital baiana. Isso porque as duas cidades estão entre o grupo que registraram os cinco maiores potenciais surtos da Covid-19 na Bahia, no dia 29 de junho. Os demais municípios apontados foram Camaçari, Juazeiro e Itabuna.

Compartilhe