Ciclone bomba: sobe para 10 o número de mortes no Sul do país; mais 700 mil imóveis estão sem energia em SC

Nove pessoas morreram em SC e um homem foi soterrado no RS. Reflexos de fenômeno climático causam ventos fortes no RJ e em SP nesta quarta.

Foto: Prefeitura de Ilhota/Divulgação

Subiu para 10 o número de mortes causadas pelo fenômeno climático conhecido como “ciclone bomba” no Sul do país – nove mortes foram registradas em Santa Catarina e uma pessoa segue desaparecida no estado. Já no Rio Grande do Sul, um homem morreu soterrado.

Durante a madrugada desta quarta-feira (1º), os ventos chegaram a 90 km/h. Conforme o monitoramento da Celesc, 686,6 mil imóveis permaneciam sem luz até as 11h. Na terça-feira (30), a ventania causada pelo fenômeno e tempestades provocaram estragos em todas as regiões.

De acordo com a Defesa Civil do estado, uma morte foi registrada em Itaiópolis, no Norte catarinense, uma em Rio dos Cedros e uma em Ilhota, no Vale do Itajaí. Outras cinco ocorreram na Grande Florianópolis: três em Tijucas, uma em Santo Amaro da Imperatriz e uma em Governador Celso Ramos. No Oeste catarinense, uma mulher morreu em Chapecó. E ainda são realizadas buscas a uma pessoa em Brusque, também no Vale.

Nesta quarta, os estados do Rio de Janeiro e São Paulo devem sofrer fortes rajadas de vento por influência do ‘ciclone bomba’. Em SP, a velocidade dos ventos pode chegar a 80km/h. No RJ, deve chegar a até 76 km/h na capital e ressaca com ondas que devem atingir os 3,5 metros, segundo o Centro de Operações Rio.

Compartilhe