CBF divulga diretriz técnica para o retorno das competições no Brasil

O objetivo é "informar e esclarecer sobre protocolos que devem ser aplicados nas competições organizadas pela CBF".

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) divulgou nesta sexta-feira (24) uma diretriz técnica para que as competições no Brasil voltem com segurança contra a pandemia do coronavírus.

O documento, de 60 páginas, regulamenta os conceitos estabelecidos pelo Guia Médico de Sugestões Protetivas Para o Retorno às Atividades do Futebol Brasileiro.

O objetivo é “informar e esclarecer sobre protocolos que devem ser aplicados nas competições organizadas pela CBF”.

Segundo a confederação, os campeonatos seguirão os protocolos recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), do Ministério da Saúde do Brasil e das secretarias estaduais e municipais de Saúde.

“Esse documento é resultado de meses de trabalho conjunto de todas as diretorias da CBF, com a colaboração de diversos setores da sociedade e do futebol brasileiro. Vivemos um momento atípico, sem precedentes na história moderna”, ressaltou o diretor de Competições da CBF, Manoel Flores.

“A roda do futebol volta a girar, mas em um contexto inédito. Estamos tomando o máximo de precaução para prezar pela saúde e segurança de todos os envolvidos, dentro de fora do campo”, acrescentou.

RECOMENDAÇÕES

A diretriz foi incluída no Regulamento Específico (REC) de cada competição a ser iniciada ou reiniciada sob coordenação da CBF em 2020, permanecendo em vigor, em razão da pandemia enquanto houver necessidade.

Qualquer alteração nesse quadro será, devidamente, comunicada e este documento sofrerá os ajustes.

Todas as partidas serão realizadas com acesso restrito ao campo de jogo e vestiários, limitado aos funcionários essenciais à administração do estádio no dia do jogo, atletas das equipes e respectivas comissões técnicas, além da equipe de arbitragem, delegados da partida e equipe de controle de dopagem.

A diretriz traz ainda testes de covid-19 para jogadores e profissionais que estiverem trabalhando no estádio. Já no jogo, cada clube poderá realizar substituição de até cinco atletas por partida.

O conteúdo completo está neste link.

Compartilhe