Casos de síndrome rara ligada à Covid-19 têm alta de 150% na Bahia

Segundo a Sesab, foram confirmados 35 casos da Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica, com duas mortes.

Foto: Paula Fróes/GOVBA

O número de casos confirmados da Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIMP), ligada à Covid-19, subiu 150% entre agosto e outubro.

Segundo dados da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), obtidos pelo jornal Correio, o número subiu de 14 para 35. Neste período, foram registradas 53 notificações para a síndrome, que pode atingir pacientes de 0 a 19 anos, tendo sido confirmados 35 casos e duas mortes. Foram hospitalizadas 410 crianças e adolescentes nessa faixa etária em todo estado, sendo que 46 morreram.

A SIMP é causada pelo novo coronavírus e costuma levar os pacientes à internação em UTIs com mais frequência, o que causa preocupação entre os médicos, já que o número de leitos pediátricos de UTI e enfermaria para Covid é baixo.

Em todo o estado, são apenas 39 leitos de enfermaria e 31 de UTI voltados para afetados pela doença nessa faixa etária. A taxa de ocupação das UTIs pediátricas na Bahia chegou ontem (14) a 74%.

Compartilhe