Bruno Reis diz não ter definição sobre Festival Virada faltando 38 dias para o Réveillon

Em seu último pronunciamento, o prefeito afirmou que caso a festa fosse realizada ela não teria 5 dias de duração.

Foto: Reprodução / Secom

A 38 dias do Réveillon, a festa para celebrar a passagem de ano na capital baiana continua indefinida pelo Governo da Bahia e Prefeitura de Salvador.

Nesta quarta-feira (24), o prefeito Bruno Reis (DEM) afirmou em conversa com a imprensa durante o lançamento de programas Quali Salvador e Nômades Digitais, no hotel Fiesta, que assim como o Carnaval, o Festival Virada depende de uma reunião com o governador Rui Costa (PT).

“Eu espero ter a oportunidade de conversar com o governador também sobre o Réveillon para que a gente possa tomar a nossa decisão. Enquanto isso estou vendo o que está acontecendo no mundo, estamos avançando na vacinação e ouvindo a opinião de todos”.

Em seu último pronunciamento, o prefeito afirmou que caso a festa fosse realizada ela não teria 5 dias de duração, como costumava acontecer, por causa do tempo apertado. “Dificilmente nós teremos um Festival Virada com 5 dias e com a presença de grandes artistas, artistas nacionais, por já estarem contratados para se apresentar em outras praças”.

Sem a festa gratuita aberta ao público, a alternativa dos soteropolitanos será apostar em uma das mais de 10 festas privadas já marcadas para acontecer na cidade no dia da virada.

Entre os eventos estão shows de Batifun, Bailinho de Quinta, Alexandre Peixe, DH8, Jau, Forró do Tico, Márcia Castro, Pedro Chamusca, Guga Meyra, Luiz Caldas, Filhos de Jorge, Negra Cor e Afrodisíaco.

Compartilhe