Bolsonaro inclui imprensa em lista de serviços essenciais durante pandemia

Com isso, os trabalhadores do setor, assim como de serviços médico e outros, não devem ser proibidos de circular.

Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro publicou um decreto ontem (22) que inclui a imprensa na lista de serviços essenciais durante o enfrentamento da pandemia de coronavírus. Com isso, os trabalhadores do setor não devem ser proibidos de circular.

Até agora, constam 33 serviços públicos e atividades como indispensáveis à população. A lista contém ainda serviços médicos e hospitalares, segurança pública e privada, transporte de passageiros, telecomunicações e internet, entre outros.

“São considerados essenciais as atividades e os serviços relacionados à imprensa, por todos os meios de comunicação e divulgação disponíveis, incluídos a radiodifusão de sons e de imagens, a internet, os jornais e as revistas, dentre outros”, afirma trecho do decreto.

O governo também cita como essencial toda a cadeia produtiva necessária para a imprensa fazer o seu trabalho, sem especificar quais outras atividades estão incluídas. O objetivo do decreto é garantir o trânsito de trabalhadores destes setores, enquanto diversos estados do país têm medidas restritivas de circulação, a fim de prevenir e conter a pandemia.

Compartilhe