BA registra 1.610 infectados pela Covid-19 em 24h e 12 óbitos; casos ativos passam dos 6 mil

Última vez que número de ativos chegou próximo ao desta quarta (12) foi em 31 de julho de 2021, quando havia 6.075.

Foto: Divulgação/Uefs

A Bahia registrou, nas últimas 24 horas, 1.610 novos casos da Covid-19, de acordo com dados divulgados pela Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), nesta quarta-feira (12). Foram contabilizados 12 óbitos e 6.174 casos estão ativos no estado.

De acordo com a Sesab, a última vez que a Bahia teve um número de ativos próximo ao desta quarta-feira foi em 31 de julho de 2021, quando havia 6.075.

O boletim ainda traz dados da ocupação dos leitos de UTI no estado. Em Salvador, por exemplo, a taxa de ocupação dos leitos de UTI pediátricos está em 85%.

Dos 1.281.737 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.247.935 são considerados recuperados e 27.628 tiveram óbito confirmado.

Além disso, 1.705.789 casos foram descartados e 275.672 em investigação. Na Bahia, 53.156 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19.

Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17h desta quarta-feira.

O boletim completo está disponível no site da Sesab e no Business Intelligence.

Vacinação

Até esta quarta-feira, 10.853.508 pessoas foram vacinadas com a primeira dose, 261.283 com a dose única, 8.940.457 com a segunda dose e 1.652.456 com a dose de reforço.

Leitos
A Bahia tem 1.299 leitos ativos para tratamento da Covid-19. Desse total, 693 estão com pacientes internados, o que representa taxa de ocupação geral de 53%.

Desses leitos, 535 são de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto e estão com taxa de ocupação de 62% (333 leitos ocupados).

Nas UTIs pediátricas, 20 das 29 vagas estão com pessoas internadas, o que representa taxa de ocupação de 69%. Os leitos clínicos para adultos estão com 67% de ocupação e os infantis, com 44%.

Conteúdo G1

Compartilhe