Apesar de ter optado pela fisioterapia, lesão de Daniel Alves é caso cirúrgico

O ligamento lesionado pelo jogador exerce função primordial na estabilidade, por ligar os ossos do fêmur à tíbia.

Apesar de ter optado pela fisioterapia, a lesão de Daniel Alves é caso de cirurgia. O Ligamento Cruzado Anterior (LCA), lesionado pelo jogado, exerce função primordial na estabilidade, por ligar os ossos do fêmur à tíbia, explica o médico ortopedista, integrante da sociedade brasileira de ortopedia e traumatologia entrevistado pelo Estadão. Na maioria dos casos de ruptura total ou desinserção total, o processo cirúrgico é recomendado para a correção do problema. A opção pela fisioterapia pode ter sido tomada pela proximidade da Copa do mundo, no dia 14 de junho.

Nos próximos dias, o jogador deve, entre outras técnicas, fazer fisioterapia, utilizar compressas de gelo, manter o joelho elevado e usar uma joelheira. Mesmo com os cuidados, Daniel Alves  corre o risco de agravar a lesão durante o Mundial e aumentar o tempo de recuperação.

Compartilhe