Alunos de elite do Brasil têm performance pior em leitura do que pobres de outros países

Média do grupo de estudantes mais ricos chega a 470 pontos, atrás da nota dos mais pobres de países como China e Estônia.

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Os estudantes brasileiros de perfil socioeconômico e cultural mais elevado têm capacidade de leitura pior que a de alunos pobres de outros países, segundo o Pisa, avaliação internacional da educação. A informação é da Folha.

Os alunos do Brasil marcaram, em média, 415 pontos no ranking de leitura, o que coloca o país em 42º lugar numa lista de 77 —o Pisa considera Macau e Hong Kong, territórios da China com administração própria e certo grau de autonomia, como entidades independentes.

O relatório divide os alunos participantes em quatro grupos, de acordo com critérios socioeconômicos e culturais. Quando é feito o recorte por classe, a média do grupo dos alunos brasileiros mais ricos chega a 470 pontos, o que faz com que o país fique em uma posição pior em comparação aos outros analisados na mesma faixa de renda, caindo para 54º lugar.

A nota dos mais ricos do Brasil é superada pela dos mais pobres de dez países ou regiões: Beijing, Xangai, Jiangsu e Zhejiang (China); Macau (China); Estônia; Hong Kong (China); Cingapura; Canadá; Finlândia; Irlanda; Coreia do Sul e Reino Unido, nessa ordem.

Compartilhe