Alerta da OMS chama atenção para diminuição de investimentos no combate a superbactérias

Segundo informações do UOL, em dois relatórios divulgados na última sexta-feira (17) pela agência, o mundo está entrando em uma escassez de antibióticos eficazes.

Foto: Gerd Altmann / Pixabay

Diminuição de investimentos privados, além da queda no interesse por inovações no processo produtivo de medicamentos estão entre os principais fatores no mais recente alerta no combate a superbactérias.

De acordo com uma recente nota divulgada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), através da ONU News, diante da situação, os trabalhos para frear a contaminação por estes seres vivos está em estágio de ameaça, visto que as superbactérias estão cada vez mais resistentes aos medicamentos.

Segundo informações do UOL, em dois relatórios divulgados na última sexta-feira (17) pela agência, o mundo está entrando em uma escassez de antibióticos eficazes. Organismos considerados como bactérias resistentes, como a Klebsiella pneumoniae, a Escherichia coli, entre outros, têm causado a morte, por ano, de dezenas de milhares de pessoas.

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, chama a atenção que “nunca antes houve ameaças de resistência antimicrobiana imediata ou necessidade de soluções mais urgentes”. Ao todo, atualmente, estão sendo desenvolvidos no mundo todo 60 produtos, que em fase de testes ainda irão demorar muitos anos até atenderem o público alvo.

Pessoas que passam por tratamento contra o câncer, pessoas com sistemas imunológicos comprometidos, além de recém-nascidos, idosos e pacientes que foram submetidos a cirurgias são os principais alvos destes seres vivos microscópicos e até mortais.

Compartilhe