Alckmin tem sido pressionado a desistir de ser vice de Lula e disputar governo de SP

Fala de ex-governador em defesa de convergência foi vista como inclinação a encampar projeto nacional.

Foto: Reprodução, redes sociais

O ex-governador Geraldo Alckmin (SP), que está prestes a se desfiliar do PSDB, tem sido pressionado por integrantes do PSD, aliados e pessoas no entorno, a disputar o Governo de São Paulo e esquecer a ideia de ser candidato a vice numa chapa nacional encabeçada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Segundo a Folha de São Paulo, amigos de Alckmin têm alertado o tucano sobre os riscos da demora em definir qual o projeto irá encampar e a sigla à qual vai se filiar. Eles dizem que a lentidão para uma decisão, aliada aos gestos de que ele pode se unir ao petista, tem irritado parte do eleitorado que hoje estaria disposto a votar nele para o governo paulista.

Por isso, têm defendido que o ex-governador decida logo o rumo que vai trilhar. Um dos que defendem que ele dispute o Palácio dos Bandeirantes é o ex-deputado estadual Pedro Tobias (PSDB), amigo de longa data de Alckmin.

“Toda a história dele e a nossa foi construída em São Paulo. Se ele sai, é claro que vou apoiar. Mas quem ganhará com isso é o PT em SP. Uma faixa de eleitor do Geraldo aqui acaba perdendo na história”, avalia Tobias.

O PSD, partido que quer atrair o tucano, tem insistido para que ele permaneça na briga por São Paulo.

Compartilhe